Covilhã retoma hábito do chá

Por estes dias, quem se deslocar à Covilhã para as festas de fim-de-ano, é convidado a beber um chá no Largo do Pelourinho. É assim retomada uma tradição antiga que "procura regenerar os hábitos urbanos".

A ideia é da Associação Empresarial da Covilhã e, conta Miguel Bernardo, serve para "retomar a tradição antiga e chamar clientes ao comércio de rua".

O chá chegou à Covilhã no século XVII, quando ali arribaram os engenheiros ingleses com fios e máquinas de tricotar para arrancar com a indústria têxtil.

Foi com a deslocação dos ingleses, que visitavam as fábricas têxteis para importar os lanifícios da região, que "o hábito se enraizou", desvenda José Rosário que, nas "Carnes e Sabores", brinda os clientes com uma infusão.

Até aos Reis, quem demandar a Covilhã, pode bebericar um chá enquanto brinda ao Ano Novo ou passeia pela cidade serrana.

Certo é que o hábito veio para ficar e o chá voltará a ser servido, nas ruas, já no próximo Carnaval. Promessa de uma cidade que pretende que o velho, e sempre presente, ritual das damas da Serra sirva agora de chamariz ao turismo.